sábado, 25 de maio de 2013

Blogagem coletiva do Dia Mundial do Tarô 2013

- E lá vamos nós, mais um ano!

Venho hoje para comemorar o Dia Mundial do Tarô e aceitar o convite de blogagem coletiva feito pela Luciana Onofre: escrever sobre o arcano que nos representa. Como descobri outro dia com o querido Emanuel J. Santos (blog Conversas Cartomânticas) que, por seu sistema, meu arcano pessoal é "A Força" eu decidi falar sobre ele, até para conhecê-lo melhor.



A "Força" fala de si mesma, mais ainda da força interior; fala de coragem, de autoconsciência e compaixão. Através deste arcano podemos encarar de fato a realidade, tomar o controle de nossas vidas, aprender a assumir responsabilidade por nossas ações, ter a capacidade de perdoar imperfeições, ser tolerante com os defeitos dos demais, aprender a ter consciência de nossas respostas instintivas e saber que somos mais fortes quando estamos íntegros. É como me disse a Lua Serena certa vez em um curso, "sem o autoconhecimento somos vencidos e facilmente devorados pelo leão interno".

Como saber quando se atinge o autoconhecimento de lidar com a força interior? No meu ponto de vista, ele deve trazer e/ou ser seguido do conhecimento de mensurar a intensidade. Um sopro e um vendaval tem a mesma natureza; o primeiro pode levar sementes a longas distâncias, já o segundo pode destruir cidades inteiras...

Assustador, não? Bom, eu já tive medo de minha totalidade, hoje não mais. Isto pode ser um problema? Algumas vezes, rss... É preciso saber-se por inteiro, assim como saber mensurar, medir sempre! Essa dicotomia me faz lembrar a carta do Petit Lenormand do "Urso": se não soubermos que força pôr, podemos esmagar a flor ao querer apenas tocá-la.

(e qual não foi minha surpresa ao ver que a carta da "Força" no Tarot das Bruxas do Alemdalenda traz a mulher montada em um urso! rs...)


Comparações tarológicas

Me volto para o "Mago". Como ele, também devemos saber mensurar a "A Força", assim como o "Mago" deve saber mexer com suas alquimias, mensurar volumes, misturar corretamente para conseguir chegar a sua pedra filosofal... A ligação com o "Mago" é visível, inclusive, nas cartas clássicas: o chapéu que a "Dama-Força" usa nos lembra o do "Mago", a representação do Infinito-Contínuo, dos extremos opostos já citados que se cruzam em algum momento.

O
"Mago" é aquele que aprende o valor de cada elemento e os respeita, para depois domá-los e chegar ao final esperado. Assim também o faz a  "Dama-Força", que não mata o subjulgado leão, e sim o doma para valer-se em seu favor de toda a sua força e maestria. 
 
"A Força" no deck do 'The Crystal Tarot' ou 'Tarocchi di Vetro', da editora Lo Scarabeo. Ilustrações de Elisabetta Trevisan; inspira-se nas linhas de Gustav Klimt e no estilo Art Nouveau. As imagens foram originalmente pitadas a têmpera sobre vidro, recriando o belíssimo efeito do vitral.


Mais impressões

Além disso, eu relaciono os conceitos da "Força" também ao Princípio Hermético de Polaridade: a delicada dama é tão forte quando o selvagem leão, pois os opostos são apenas extremos da mesma coisa. Tudo se torna idêntico em natureza, o leão e a dama são um só, divergindo apenas em intensidade: ao domá-lo ela remonta a fortaleza do Uno, do que é mais por ser único. A polaridade, como se sabe, revela a dualidade: os opostos representam a chave de poder no sistema hermético, pois era unindo o que é oposto que se chegava ao produto final. Essa ligação de opostos já foi usada para gerar maior força mágica muitas vezes, dentro do mundo mágico e pagão. 

Lembro-me também dos conceitos xamânicos de animal pessoal totêmico, quando vejo esta carta. Não o matamos, mas o 'domamos', para nos valer de toda a sua maestria. O animal totem, representado aqui como o leão domado, é nossa representação mais primitiva, instintiva. O totem ou animal de poder (e, por que não, animal de FORÇA?! rs) é aquele que representa nosso eu e, como bem disse a Lua Serena, "Qualquer observador da História e da humanidade pode constatar que a repressão do lado instintivo humano causou muito mais dor, sofrimento e violência do que equilíbrio e harmonia."

Aliás, a título de curiosidade, para o Xamanismo os animais de poder que são mamíferos - como é o caso do leão - estão ligados ao elemento fogo. Os xamãs dizem que cada animal totêmico traz para nós uma medicina; o termo medicina é empregado para o poder pessoal, dádivas de sabedoria, força física, clareza espiritual, talentos...

Sabem qual a medicina do Leão? Segundo o conhecido xamã Léo Artese, o Leão nos traz a medicina da liderança, da força, do poder, da coragem. Associado ao Sol, ele é evocado para os poderes de força, vitalidade, potência sexual, saúde, energia, prosperidade, proteção e também para aumentar a autoconfiança quando se tem pela frente tarefas difíceis, desafiadoras. É usado para se ter ousadia, audácia de iniciar algo, como também para ter a paciência necessária e fazer com que a inteligência vença o instinto. Também é chamado quando há necessidade de forças para vencer limitações ou bloqueios e para equilibrar mente e coração, emoção e intelecto, consciente e subconsciente. Além disso, auxilia a trabalhar com luz e escuridão, opostos em si que são parte de uma mesma coisa, pois o claro e o escuro também são manifestações da luz...

- Ok, ok, dá para não dizer que TUDO isso também está na carta da
"Força"? :D


Considerações finais

A "Força" traz em si uma grande integridade e poder, e é preciso muita "força" para levar isso... Muitas vezes nós subestimamos o poder que nós mesmos possuimos, a nossa capacidade de melhorar nossas vidas simplesmente ao deixar esta força se manifestar, essa vontade. Esta carta nos lembra que todos nós temos esta chama e tudo o que precisamos fazer é dar valor a esta força, alimentá-la, respeitá-la dentro de nós. Se por algum motivo abafamos o calor deste fogo interno, tendo medo de "assumir as rédeas", precisamos considerar que aquilo que mais tememos pode acontecer, e podemos vir a ser subjulgados e perder nossas vozes, nossas vontades... É preciso respeitar sua vontade, seu interior, aquilo que você é: todos nós temos a força para criar a paz entre os opostos e domá-los, com respeito e integridade, mesmo dentro de nós mesmos.

.
.
.

Fiquei muito feliz em falar mais deste arcano e acredito que agora entenda-o muito melhor como meu arcano pessoal. Eu me considero curiosa sobre o Tarô, mas como cartomante esse foi um exercício maravilhoso de assimilação e simbologia. 

 Feliz DIA MUNDIAL DO TARÔ!




2 comentários:

¬ Obrigado por seu comentário!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...