quinta-feira, 25 de abril de 2013

Ampliando conhecimento!

De vez em quando me pego analisando o meu oráculo, o Baralho Petit Lenormand. Olho lâmina a lâmina, como se isso me fizesse conhecê-lo no íntimo, como se eu quisesse "absorver" tudo o que cada carta possui. Para mim, ali, tudo faz sentido. Vem a mente os significados intrínsecos de cada carta, em seus desenhos... É estranho, mas eu vejo um mundo em cada uma delas. 

"O ser humano tem a habilidade inata de pensar em termos de símbolos, que deriva, fundamentalmente, da tendência à representação. (...) A mente humana é misteriosa, um universo em expansão e sem fronteiras dentro de nós. A memória e os pensamentos conscientes dão uma idéia de onde começa a mente, mas seus limites permanecem desconhecidos. Ademais da capacidade de evocar pensamentos, construímos nossa existência pelo armazenamento das experiências vividas - um repositório se extende para muito além da consciência. Em níveis ainda mais profundos, a mente abrange o que o psiquiatra Carl Gustav Jung chamou de 'inconsciente coletivo', uma dimensão psicológica hereditária, da mesma forma que o corpo herda suas características físicas." (1)
 
Creio que as correlações que fazemos vem sempre em uma escala: o significado primevo traz as sensações que ele evoca; depois disso, a amplitude se instala e vem a mente as coisas semelhantes nomeadas que conhecemos, que nos são próximas; ampliamos mais e começamos a unir as coisas nomeadas entre si, dando um terceiro significado ou mais...

Por exemplo: ao fazermos um traçado num papel de uma linha que se curva até chegar a outra ponta e fechar em si nos faz criar um CÍRCULO. Quase que imediatamente no momento em que o fechamos acessamos nosso inconsciente coletivo e lembramos também de muitas coisas. Partindo do círculo, eu me lembro:
 
 * da BOLA > A bola traz a DIVERSÃO > A diversão da bola traz o GRUPO DE AMIGOS >>> ...

* do ANEL > o ANEL traz o PRESENTE > o presente do anel traz o COMPROMISSO >>> ...

* do BURACO > o buraco traz o ESCURO > o escuro do buraco traz o MISTÉRIO >>> ...

* do OUROBOROS > o ouroboros traz o CICLO > o ciclo do Ouroboros traz o ETERNO >>> ...

* da LUA > a lua se faz CHEIA > a lua cheia traz a BENÇÃO >>> ...

* da RODA > a roda traz o MOVIMENTO > o movimento da roda traz o SEGUIR EM FRENTE >>> ...

* da CIRANDA > a ciranda traz a UNIÃO > a união da ciranda traz a IRMANDADE >>> ...

E não pára por aí! Ter uma boa "biblioteca interna" ajuda bastante nesta abstração e na correlação entre os símbolos e os significados possíveis que surgem durante a leitura de um oráculo. Isso acrescenta uma riqueza de informação à leitura, sendo possível passar o que a carta em si quer dizer para qualquer público, repassando ao cliente da melhor forma.

Ah, sim... É preciso um certo grau de abstração, mas essa mesma abstração deve estar fundamentada no conhecimento e no entendimento. Deste modo, a análise e estudo destes símbolos e arquétipos é de grande importância para o resgate simbólico e para compreensão dos signos que surgem também nos oráculos e, consequentemente, para uma compreensão mais profunda de si mesmo. (2)

* Como ampliar a visão dos símbolos

O simbolismo do Baralho Petit Lenormand é próprio e muito próximo de nós também, fazendo com que ele seja um oráculo do cotidiano. Seus simbolos são atuais até hoje, pois mostram coisas, objetos e itens presentes em nossa vida e facilmente entendíveis e transponíveis por seus leitores. O estudo das lâminas e dos símbolos do Baralho Lenormand amplificam os significados e devem sempre ter como ponto de referência o momento onde foram criados e o que signficavam áquela época. Ao meu ver, não se pode fugir da matriz simbólica, tampouco se limitar a ela. 

"O ato de transpor os símbolos para outras esferas, principalmente para o cotidiano, nos faz entender como um ou outro símbolo e o seu significado pode 'aparecer' no dia-a-dia, aumentando a percepção e o conhecimento empírico sobre o mesmo, ampliando visões. Isso pode ser percebido, por exemplo, ao se 'vivenciar' os arquétipos e simbologias dos oráculos ou trazê-los para um meio que você domine e/ou conheça bem. Iremos lidar com vários textos neste sentido nos próximos meses aqui no bloguinho, levando o oráculo que uso, o Baralho Petit Lenormand, a 'visitar' outros mundos." (3)  

* DICA: caminho 'via de mão dupla'

Experimente também correlacionar não os símbolos do oráculo que usa à algo, mas a fazer o caminho inverso. Isso vale muito ao estudar oráculos onde o simbolismo é mais restrito, como as Runas, por exemplo.

As runas são caracteres de um alfabeto hoje praticamente esquecido, que com o passar do tempo adquiriram simbolismo mágico e divinatório. Uma delas, a runa ISA (foto à esquerda) é representada com um traço vertical - desta forma, | - e siginifica a imobilidade causada pela neve, a contrição, as situações fora do seu controle que te forçam a uma parada total. É um momento de pausa, reflexão, recolhimento - inclusive de suas energias. 

Por ser uma runa do gelo, você poderia enxergá-la como uma estalactite (foto abaixo), que nada mais é do que água e destritos acumulados, parados, presos, congelados. Algo comum nos países germânicos de onde vem as Runas, mas que muitas pessoas não sabem exatamente o que é.

Porém, se este símbolo é desconhecido, podemos pensar em outras coisas que nos causem a mesma sensação, ou seja, procurar um simbolismo conhecido para apreendermos o que quer nos dizer esta runa. Pictoricamente, por ser um traço ( | ), podemos pensar em PAREDES, BLOQUEIOS que impedem o avançar; algo que se COLOCA EM NOSSA FRENTE IMPEDINDO A VISÃO, o que causa uma maior reflexão interna, o "olhar para dentro". Podemos pensar na questão do GELO e lembrar que ele, às vezes, REFLETE, tal como um ESPELHO, que traz o "olhar para si" e a reflexão que isso causa.


1 "A Linguagem dos Símbolos", de David Fontana (Publifolha)
2
Artigo "Oraculando", publicado originalmente neste blog
3 Artigo "Ato de (re)criação!", publicado originalmente neste blog



© Todos os direitos reservados.

terça-feira, 16 de abril de 2013

Ato de (re)criação!

Como já falamos antes a respeito dos oráculos, qualquer objeto, moeda, cartas, dentre outros, podem dar uma resposta (afirmativa ou negativa, e também outros tipos de respostas) desde que exista um padrão já determinado no sistema de leitura.

O ato de interpretar tais respostas e estabelecer sentido, passando adiante a mensagem, é possível por conta da interpretação dos símbolos contidos no oráculo consultado. A interpretação dada pelo oraculista vem atráves de intuições e também do entendimento do signo que se apresenta na hora do jogo. Vem daí o entendimento que, em se estudando a simbologia e os métodos de um oráculo, é possível interpretá-lo. (1)

A curiosidade humana é muito do que nos faz diferentes, e o interesse pelo oculto e pelo futuro existe desde os dias mais antigos... Oráculos famosos eram consultados por reis e plebeus, sem distinção. Porém, é preciso nunca esquecer da importância dos símbolos para nós até hoje. Como instrumento altamente imagético e simbólico, o oráculo 'fala' conosco através do que o psicanalista Carl Gustav Jung chamou de inconsciente coletivo, uma linguagem antiga e intuitiva por ser rica em entendimento intrínseco.

Por isso mesmo, além de poder ser utilizado como arte divinatória, um oráculo traz em si inúmeras possibilidades de amplitude de conhecimento e pode ser, facilmente, usado para uma jornada de melhoria e engrandecimento pessoal.


* Novas formas e visões

- Foto por Donnaleigh de la Rose -
Uma das várias formas de se lidar com um oráculo como aprimoramento pessoal é o ato de transpor os símbolos para outras esferas, principalmente para o cotidiano. Entender como um ou outro símbolo e o seu significado pode 'aparecer' no seu dia-a-dia aumenta a percepção e o conhecimento empírico sobre o mesmo, ampliando visões. Isso pode ser percebido, por exemplo, ao se 'vivenciar' os arquétipos e simbologias dos oráculos.

Outra forma muito interessante de lidar com os oráculos e sua simbologia é trazê-los para um meio que você domine e/ou conheça bem, como fez o amigo Emanuel J. Santos, já conhecido nosso do blog Conversas Cartomânticas, que traz um novo projeto: o Petit Lenormand em Ponto Cruz, que como ele mesmo define é "uma possibilidade de criação e aprendizado de cartomancia e bordado". Vale a pena acompanhar!

Para aqueles que lidam com oráculos, saber-se próximo - quase 'íntimo'! rs - do instrumento que se utiliza é algo fantástico. Temos praticamente um 'bate-papo' que flui como uma conversa entre amigos... E que tal trazer não só o significado, mas também o símbolo em si para um tema que você goste e criar um oráculo pessoal?É possível utilizar um deck e customizá-lo, como mostra a figura acima, ou ainda proceder com a criação das cartas dentro do tema de sua escolha.


* Experiência pessoal

Sou cartomante e utilizo também como oráculo o Baralho Petit Lenormand. Em cima disso, fiz um deck personalizado, que eu chamei de "Orientalist Lenormand". Ah, sim! Iremos lidar com vários textos neste sentido nos próximos meses aqui no bloguinho, levando o Baralho Petit Lenormand a 'visitar' outros mundos... 

- A imagem que deu origem a carta 18,
o 'Cão', em meu deck pessoal:
pintura "The Negro Master of the Hounds",
de Jean-Léon Gérôme -
Sobre o tema que escolhi, vários me rondam o gosto pessoal e um deles é tão marcante que resolvi unir o 'belo' ao 'aprazível' (rs): sou apaixonada pela cultura e arquitetura antigas da área do Mediterrâneo! Uma viagem dos sonhos para mim é ir da Turquia à Espanha, passando pela Egito, Líbia, Grécia, Itália, Argélia, Marrocos... E passear por todo aquele mar que, segundo conta o conto, a nau Argo e seus heróis um dia desbravaram!

Sou, portanto, fã do Orientalismo. Vale a distinção: o "Orientalismo", em sua tendência ortodoxa, foi uma das teorias criadas em meio as ciências humanas que maior êxito obtiveram em deturpar a mentalidade ocidental sobre o que seria o "oriente", tornando-o exótico, misterioso, problemático e perigoso (2).

Este mesmo termo, entretanto, denomina uma leva de pintores e suas incríveis obras. Para a pintura, o "Orientalismo" é mais amplamente usado para se referir às obras de muitos artistas do século 19, que se especializaram em representar assuntos do "oriental" (3). É neste último sentido a que me refiro.

Foi um ato puro de (re)criação e... Recreação! (com o perdão do trocadilho, rss...) Achar as pinturas que se identificavam com as cartas do Baralho Petit Lenormand me levou numa busca incrível, um deleite aos meus olhos, uma elevação do que cada carta representava.

Talvez você possa usar colagem para fazer suas imagens... Selecione algumas que lhe interessem e tente incorporá-las em seus desenhos. Se você achar que tem veia de artista, faça uma série de rascunhos das imagens primeiro, ou procure materiais diferentes para esculpir, imagine, se lance no inusitado! Desde que funcione para você, é válido: pense no que os arquétipos, no que o simbolismo significa para você pessoalmente. Você pode fazer isso para aprendizado, ou pode inclusive utilizar para a arte da divinação, tanto faz! O importante é que tenha a mente aberta para aprender de formas diferentes.

Pense nestas formas diferentes de lidar com o seu oráculo, tenho certeza de que será uma experiência gratificante. Para mim, foi uma experiência única, bastante divertida, e que eu recomendo!




1 Artigo "Oraculando", publicado também neste blog
2 Wikipedia; Orientalismo
3 Do site do artista E. Cury


© Todos os direitos reservados.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...